Orientações gerais de segurança para o carnaval


Edição 21

Por Cíntia Yoko Morioka, MD, PhD e Eduardo Morteo Bastos, Analista de Safety


Muitas pessoas no Carnaval entram no clima de festa permitindo-se vivenciar novas experiências. No entanto, grandes aglomerações, sexo inseguro, má alimentação e compartilhamento de bebidas podem trazer riscos e/ou transmissão de doenças.


Orientações Gerais:


1. Evite ir sozinho para os blocos. Sempre notifique sua localização para alguém de confiança para que saibam onde você se encontra. Caso vá em grupos, sempre defina um ponto de encontro. Isso ajudará a localizar pessoas que se perderem do grupo;
2. Se o carnaval coincidir com sua folga ou férias, beba com moderação e, caso for beber, não dirija;
3. Se estiver pernoitando a serviço da empresa, garanta que o consumo de álcool não prejudique as funções laborais a bordo das aeronaves. Respeite a regulamentação. Você é responsável pela segurança e operação das aeronaves;
4. Não aceite bebidas alcoólicas de pessoas desconhecidas. Pessoas com más intenções podem “batizar” a sua bebida;
5. Procure se hidratar com água potável e evite aceitar ou pedir bebidas com gelo. Muitas vezes a água utilizada para a sua produção não é tratada, transportando patógenos ao seu organismo;
6. Não esqueça de se alimentar adequadamente. O ideal é que não se pule refeições. Alimentos crus e saladas podem não ser uma boa opção. Nessas épocas festivas é muito difícil assegurar a procedência e higienização dos alimentos;
7. Não se esqueça de dormir. O lazer é bom, mas a profissão do aeronauta necessita de horas de sono para evitar a fadiga. O pernoite é um tempo destinado fundamentalmente para que o aeronauta descanse para os demais dias de sua viagem;
8. Tente evitar áreas endêmicas de Febre Amarela, principalmente se você não tomou a vacina dez dias antes do início do Carnaval. Caso não seja possível, é recomendado fazer uso de roupas claras, repelentes e evitar perfumes florais.

PEP – Profilaxia Pós Exposição de Risco:


1. Grandes aglomerações podem ter usuários de drogas. Se sentir que foi “picado" por uma seringa por acidente, procure um posto de atendimento que ofereça a Profilaxia Pós Exposição de Risco - PEP ou algum serviço médico para orientação;
2. Por mais que o sexo sem preservativo aumente o prazer no ato, seja sensato e pratique sexo seguro com camisinha. É provável que a relação ocorra com pessoas que você não tenha intimidade, logo, por vezes, não será possível saber se existe risco de contrair alguma DST. Caso não tenha sido possível, procure o PEP ou serviço médico. Outras infecções sexualmente transmissíveis podem ser evitadas. É conveniente lembrar que o sexo anal desprotegido é fonte de DST, e também de outras infecções pelo contato do pênis e boca com material fecal e secreções;
3. É importante procurar o serviço médico com urgência caso haja exposição ao HIV porque a PEP é um procedimento de urgência. Ela deve ser iniciada até 72 horas após a exposição para ser eficaz.

O gerenciamento da saúde do aeronauta, através da informação (importante base preventiva) leva à integridade de sua saúde, necessária para as suas atividades laborais. Mais ainda, estas informações podem ser úteis caso passageiros ou conhecidos necessitem. “Conhecimento parado, é conhecimento desperdiçado”.



Procurando por informações sobre saúde e segurança de voo? Acesse nossa estante virtual!

© 2019 Associação dos Aeronautas da GOL - ASAGOL

Av. Washington Luís, 6817, sala 22, Santo Amaro, São Paulo-SP

Telefone: 11 5533-4197 | WhatsApp: 11 97691-6599 

Parceiros: