737 MAX: Boeing desenvolve níveis adicionais de proteção para o software do MCAS



Enquanto prosseguem as investigações dos acidentes com as aeronaves 737 MAX da Lion Air e da Ethiopian Airlines, a Boeing anunciou o desenvolvimento de três níveis adicionais de proteção para o software do MCAS (Maneuvering Characteristics Augmentation System) em caso de informações erradas vindas dos sensores de ângulo de ataque.


São eles:


  • Os sistemas de controle de voo irão comparar as informações de ambos os sensores de AOA, e em caso de divergência de 5.5 graus ou mais (com os flaps recolhidos) o MCAS não irá ativar. Os pilotos serão alertados por meio dos displays na cabine.

  • Quando o MCAS ativar em condições "non-normal", ele irá atuar uma única vez para cada evento de AOA elevado. Não existem situações conhecidas ou vislumbradas de falha onde o MCAS irá atuar com múltiplos ajustes.

  • O MCAS jamais poderá comandar um ajuste de estabilizador maior do que aquele que os pilotos possam contrapor puxando a coluna do manche. Os pilotos continuarão podendo sobrepujar o MCAS e controlar manualmente a aeronave.


Conforme explicado pela fabricante as mudanças irão reduzir a carga de trabalho em situações "non-normal" e impedir que informações erradas levem ao acionamento do MCAS.


Veja a nota completa da Boeing, que também inclui informações sobre treinamento dos pilotos e alertas visuais nos displays primários de voo:


http://www.boeing.com/commercial/737max/737-max-software-updates.page#/overview

© 2019 Associação dos Aeronautas da GOL - ASAGOL

Av. Washington Luís, 6817, sala 22, Santo Amaro, São Paulo-SP

Telefone: 11 5533-4197 | WhatsApp: 11 97691-6599 

Parceiros: